planoVPosso mudar de profissão/carreira?

Posso mudar de profissão/carreira? Essa tem sido uma questão que paira os pensamentos de muitos profissionais na vida contemporânea. Exemplificando algumas possibilidades podemos discorrer sobre pessoas que já iniciaram um curso superior, estando em diferentes fases de um curso de graduação, mas não se sentem ajustados nessa escolha e também sem perspectivas de atuação futura. Há ainda os profissionais já graduados, exercendo uma atividade laboral, mas também duvidosos ou insatisfeitos com suas tarefas, “desconfortáveis” não encontram mais sentido nas ocupações que efetivam. Enfim, é um dilema crescente nos dias atuais, reflexo de um mundo cada vez mais globalizado, com constantes mudanças no chamado mundo do trabalho e com aceleradas variações de conhecimentos e informatizações que se modificam em curto prazo.

Assim, considerando os processos de escolha como ações inerentes as nossas vidas, nas quais nossas escolhas são efetivadas diariamente quase despercebidas, como os estilos de roupa que usamos as preferências alimentares que selecionamos: doces ou salgados, se gostamos mais de cantar, dançar ou ouvir música. Da mesma forma, a profissão/carreira já decidida poderá ser questionada e conseqüentemente revisada. Mas, por que as escolhas e/ou necessidades de mudança profissional nós mobilizam tanto? Por que temos a sensação, nestes momentos, de que não sabemos fazer escolhas?

Muitas respostas poderão compor esses impasses, pois somos seres únicos. Contudo considerando valores familiares culturais, econômicas sociais e dadas à importância que o trabalho promove em nossas vidas e nas questões subjetivas, nossa tendência é buscar uma escolha “certa”.  Dessa forma, sentimentos de ansiedades e angústias podem constituir esse momento paralisando a possibilidade de repensar novos caminhos, ou seja, quando julgamos inevitável a oportunidade de revisão profissional.

O importante é refletir sobre as escolhas e se, necessário, considerar a chance de reconsiderar os valores, sentidos e significados suscitados pelo trabalho, contribuições essas relevante para uma possível re-escolha profissional. Esses sentidos do trabalho são formados durante nossa história de vida, e através do autoconhecimento, via técnicas específicas, poderão ser clarificados contribuindo nesse momento.

Nossa profissão/carreira torna-se relevante uma vez que se relaciona diretamente com quem eu sou, com o que eu faço, enfim mesclam as identidades pessoal e profissional. Então se surgirem inquietações que algo precisa ser modificado, principalmente, nos tempos contemporâneos nos quais a linearidade das carreiras quase deixa de existir, vale evocar a etimologia da palavra mudança: trocar, alterar.  Relembro os versos cantados por Lulu Santos em uma das suas músicas que dizem:…tudo mundo o tempo todo no mundo… e assim finalizo esse diálogo sugerindo aos leitores: permitam-se rever sempre que necessário!

.

Regina Célia Borges é psicóloga e orientadora profissional, doutoranda e mestre em psicologia pela UFSC. Possui Formação em Orientação Profissional pelo INSTITUTO DO SER – Orientação Profissional e de Carreira, de Florianópolis, Especialização em Administração de Recursos Humanos pela Universidade São Judas Tadeu/SP e Especialização em Administração Hospitalar pela Fundação Getúlio Vargas/SP. Atua em Orientação e Re-reorientação profissional de jovens e adultos, preparação para vestibulares e concursos, Consultoria e Coaching organizacional e do trabalho; Supervisão, Palestras e Workshops Empresarias e Educacionais.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

setembro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Page generated in 0,508 seconds. Stats plugin by www.blog.ca