mulheres-no-trabalho

 

 

 

 

 

 

 

…” Dizem que a mulher, É o sexo frágil, Mas que mentira absurda, Eu que faço parte  Da rotina de uma delas, Sei que a força, Está com elas…”

Mulher (Erasmo Carlos)

 

São muitas as canções que retratam o feminino e é sobre mulheres que vamos falar um pouco hoje. Estamos em pleno século XXI, mas as condições sócio-históricas e culturais que representam as mulheres ainda demonstram muitas desigualdades. O que pretendo, especificamente, destacar nesse dialogo são as condições profissionais e de carreira das mulheres no mundo ocidental.

Saímos exclusivamente do trabalho doméstico chegando ao mercado de trabalho com o início da Revolução Industrial, grande divisor de águas do século XVIII, iniciada na Inglaterra e depois estendida para a Europa Ocidental e Estados Unidos. Esse evento promoveu mudanças tecnológicas, econômicas e nos modos de pensar naquele período. Na realidade brasileira suas conseqüências decorreram do final do século XIX ao começo do século XX. Assim, as mulheres passam a buscar o mercado de trabalho não somente como uma opção de participação no mundo laboral, mas com a principal finalidade de impulsionar os ganhos financeiros familiares, influenciando na transformação dos modelos familiares, quando novos arranjos passam a existir. E desde então continuam sendo travadas lutas cotidianas diárias, muitas delas adversas, que ainda se repetem em relação às diferenças vividas no mundo/mercado de trabalho como, por exemplo, as chamadas condições de gênero, faixas salariais e acesso a cargos de chefia, entre outros.

Apesar de mais anos de estudos, quando comparado com o sexo masculino, as mulheres ainda permanecem menos remuneradas e acumulam, além do trabalho externo, o trabalho doméstico e o cuidado, em muitas situações, quase que exclusivamente de todas as tarefas ditas femininas. Assim, podemos indagar como pensam as mulheres hoje sobre estas condições, perguntando: carreira e maternidade é uma conciliação possível? Mulheres trabalham somente por necessidade financeira? Como lidam com a tripla jornada? Olham para os seus limites? Cuidam devidamente de sua saúde? Estas, entre outras não menos importantes, se constituem em questões para refletir e discutir com profundidade.

Além da inserção laboral da mulher e para além da vida doméstica outros movimentos sócio-histórico-culturais marcam as tramas históricas femininas, como o movimento feminista nos séculos XIX e XX. No entanto, não se trata aqui de discutir questões de poder, se quem manda mais é o homem ou a mulher, mas repensar, diante desses cenários, quais outros são necessários construir, principalmente pensando na satisfação pessoal de exercer uma atividade profissional que proporcione sentido às  subjetividades.

Repensar sociedades nem patriarcais nem matriarcais, mas modelos de parcerias pode ser uma realidade muito mais próxima do que acreditamos, como também reconsiderar sobres quais sentimentos, significados e sentidos pairam sobre as carreiras/trajetórias profissionais femininas? Fica aqui minha provocação, para além do corre-corre diário, de ampliar essas questões e partir na busca de novas respostas, entendendo este como um grande desafio, ao mesmo tempo que uma construção histórica ao nosso alcance. Para isto, o INSTITUTO DO SER deixa sempre espaços abertos dentro do seu rol de prestação de serviços em Orientação Profissional, Carreira e Aposentadoria, buscando dialogar sobre as trajetórias profissionais, incluindo também as das mulheres em todas as fases de sua existência.

 

Regina Célia Borges é psicóloga e orientadora profissional, doutoranda e mestre em psicologia pela UFSC. Possui Formação em Orientação Profissional pelo INSTITUTO DO SER – Orientação Profissional e de Carreira, de Florianópolis, Especialização em Administração de Recursos Humanos pela Universidade São Judas Tadeu/SP e Especialização em Administração Hospitalar pela Fundação Getúlio Vargas/SP. Atua em Orientação e Re-reorientação profissional de jovens e adultos, preparação para vestibulares e concursos, Consultoria e Coaching organizacional e do trabalho; Supervisão, Palestras e Workshops Empresarias e Educacionais.

 

novembro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Page generated in 0,429 seconds. Stats plugin by www.blog.ca