Topo-do-site-coloquio

RESUMOS MINICURSOS

Minicurso 1

… E QUANDO A MINHA APOSENTADORIA CHEGAR?

Ministrantes: Dulce Helena Penna Soares (INSTITUTO DO SER e UFSC) e Vera Regina Roesler (INSTITUTO DO SER e UNIPLAC)

Este curso tem por objetivo trabalhar a Aposentadoria como um processo em seus componentes psicossociais. Permeada por ambiguidades e contradições, esta etapa da carreira será vivida (ou rejeitada) por todos os trabalhadores. Serão abordadas questões relativas ao Tempo do Trabalho e o Tempo Livre, bem como preparação para viver a passagem do mundo laboral para a aposentadoria. Sob o amparo teórico e metodológico da Sociologia Clínica, serão vivenciadas técnicas como trajetórias socioprofissionais, árvore genealógica e projeto parental. Casos de pesquisas realizadas ilustrarão as reflexões acerca da temática.

 .

Minicurso 2

JUVENTUDE (S) E PROFISSÕES: PROSPECTANDO O FUTURO NUM CONTEXTO DE DESAFIOS

Ministrantes: Marilu Diez Lisboa (INSTITUTO DO SER e UNIPLAC) e Cláudia Basso (INSTITUTO DO SER e UFSC)

No presente minicurso pretende-se discutir sobre os temas juventude(s) e profissões em sua intersecção com a Orientação Profissional. Vislumbra-se analisar o atual cenário socioeconômico brasileiro, o qual vem propiciando novas perspectivas de escolhas profissionais e inserção laboral para os jovens. Tratar-se-á de debater essa realidade com criticidade, analisando criteriosamente o papel do orientador profissional comprometido com a expansão de seu fazer.  Sabe-se que o processo educativo brasileiro se constituiu, historicamente, como fragmentado, propondo duas educações: a das elites e a dos trabalhadores. Assim, o ensino superior, que tem como princípio a expansão ao mesmo tempo em que a especificidade de conhecimentos pela via da reflexão e do ”aculturamento”, foi implantado para as elites, enquanto que a formação para ter um ofício se destinou às classes trabalhadoras. Entende-se, aí, que os primeiros desenvolvem um trabalho intelectual e os segundos o trabalho braçal. Um sistema educacional laico e de igualdade nos direitos ainda é uma utopia. Nas últimas duas décadas, mesmo com a expansão da educação superior brasileira, e nos últimos anos, com a formação de nível técnico e a implantação de políticas públicas propiciando um maior acesso dos jovens aos ensinos médio e superior, ainda há hiatos enfrentados pelos jovens de classes socioeconômicas menos favorecidas. Entre tantos fatores substantivos a se considerar estão as suas possibilidades de escolha profissional e a prospecção de futuro. Diante desse contexto propomos refletir e debater acerca da formação e do trabalho que o orientador profissional pode desenvolver, bem como as contribuições que pode trazer para os diversos públicos de jovens que estão adentrando ao sistema de formação profissional médio e superior.

.

Minicurso 3

CARREIRA: UM DESAFIO A ENFRENTAR?

Ministrantes: Iúri Novaes Luna (UFSC), Vanderlei Brasil (UNISUL SC) e Marilaine Bittencourt Freitas Lima (SC)

As oportunidades de desenvolvimento profissional no mundo do trabalho contemporâneo distinguem-se significativamente do que ocorria poucas décadas atrás. Em uma sociedade caracterizada pela instabilidade e pelo risco, surgem novos modelos de carreiras mais flexíveis, frequentemente não orientadas por uma lógica de progressão linear vertical em contextos organizacionais. De fato, nos dias atuais, as progressões de carreira tornaram-se descontínuas, verticais e horizontais, em diferentes organizações ou ambientes de trabalho. Nesse contexto, ao mesmo tempo em que surgem novos modelos de carreiras, como, por exemplo, as “Carreiras sem Fronteiras” e as “Carreiras Protianas” (Proteu: criatura do mar que podia assumir diferentes formas, segundo a mitologia grega), observamos o fenômeno do “entrincheiramento na carreira”, ou seja, a imobilização de alguns profissionais em determinadas posições ocupacionais. Desenvolver-se profissionalmente, desse modo, tornou-se um considerável desafio para as pessoas inseridas no atual mundo do trabalho. Assim sendo, a proposta do minicurso é fornecer subsídios para que os participantes possam refletir sobre suas próprias carreiras e aprimorar competências para um desenvolvimento profissional mais autônomo, bem sucedido e gratificante, coerente com suas características e interesses pessoais e com seus projetos de vida mais amplos.

.

Minicurso 4

CONTEÚDOS E TÉCNICAS EM OPC: VIVÊNCIA E APRENDIZADO

Ministrante: Mariza Tavares Lima (PUC MG)

Considerando-se a proposta deste Colóquio que aponta na direção de “uma maior participação de todos… propiciando o compartilhamento com base em relações de confiança, em seus aspectos científicos e das práticas profissionais”, este mini curso tem por objetivo ampliar a possibilidade da prática em Orientação Profissional e de Carreira (OPC).

Em um primeiro momento serão atualizados e/ou revistos conceitos gerais relativos ao processo de OPC, visando a uma adequação dos princípios teóricos que subsidiam este fazer profissional.

Em seguida, se debaterá a importância da utilização das técnicas de intervenção em OPC como facilitadoras da reflexão implicada no processo. Pretende-se ampliar o conhecimento de instrumentos possíveis para uso na condução dos atendimentos em orientação.

Propõe-se ainda a vivência de algumas das técnicas utilizadas na intervenção, seguindo-se a elas o Ciclo de Aprendizagem Vivencial (CAV), a partir do qual a vivência será incorporada ao repertório de cada participante, possibilitando o aprimoramento de competências na prática em OPC.

.

Minicurso 5

INTRODUÇÃO AO TESTE HUMANGUIDE® – UMA FERRAMENTA ON-LINE PARA IDENTIFICAR A MATRIZ MOTIVACIONAL

 Ministrante: Giselle Mueller-Roger Welter (SP)

Cada vez mais, a sintonia entre o perfil motivacional do indivíduo e a atividade profissional por ele exercida vem sendo considerada um importante fator de sucesso profissional e de realização pessoal. Quanto mais o indivíduo está identificado com o seu fazer, maiores serão as chances de satisfação pessoal no trabalho. Dificuldades de relacionamento e conflitos no ambiente de trabalho muitas vezes são atribuídos a diferenças culturais, de valores e de personalidade. Diante disso, a possibilidade de avaliar o grau de aderência entre as necessidades do indivíduo com a demanda de uma determinada atividade profissional, e com os membros de uma determinada equipe por meio da avaliação da personalidade adquire valor estratégico. No entanto, a crescente demanda por testes de personalidade online voltados para o contexto organizacional esbarra na pequena oferta de instrumentos de avaliação psicológica aprovados para uso profissional com essas características, e que atendam, ao mesmo tempo, aos critérios de rapidez, economia, elevada acessibilidade, praticidade, validade e precisão. O HumanGuide® é um instrumento de avaliação psicológica online, de origem sueca, desenvolvido no contexto organizacional por Kenmo, com base nos trabalhos de Szondi. No formato de escolha forçada, ele apreender o perfil motivacional do indivíduo, considerando oito fatores de necessidades pulsionais: sensibilidade, força, qualidade, exposição, estrutura, imaginação, estabilidade e contatos. Estudos de validade e precisão conduzidos no Brasil atestaram sua adequação para uso profissional, tendo sido aprovado pelo Satepsi/CFP em maio de 2009. Neste curso pretende-se apresentar os conceitos fundamentais do HumanGuide® e suas possibilidades de aplicação. O conteúdo apresentado permitirá aos participantes entender e aplicar os principais conceitos do teste na interpretação do próprio Perfil Pessoal HumanGuide®, identificando nele oportunidades e riscos. Serão apresentadas e discutidas as principais características psicométricas do instrumento e as análises complementares disponíveis do sistema operacional. Os inscritos receberão senha de acesso para a realização de um perfil cortesia.

.

Minicurso 6

JOGO: CRITÉRIOS PARA A ESCOLHA PROFISSIONAL – UM INSTRUMENTO PARA OPC

 Ministrante: Kathia Maria Costa Neiva (SP)

A proposta deste curso é instrumentalizar os participantes para o uso do Jogo: Critérios para a Escolha Profissional cujo objetivo é facilitar decisões profissionais de jovens ou adultos estimulando os seguintes aspectos: (a) ampliação do conhecimento de seus interesses e valores, (b) reflexão sobre as suas expectativas com relação ao futuro profissional, (c) definição de critérios de escolha profissional, (d) identificação de profissões/ocupações que correspondam a tais critérios, (e) elaboração da identidade vocacional-ocupacional, e (f) pesquisa e análise da realidade profissional. O jogo facilita o estabelecimento de critérios com relação a cinco aspectos: (1) ambiente de trabalho, (2) objetos de trabalho, (3) atividades de trabalho, (4) rotina de trabalho e (5) retornos de trabalho. O jogo pode ser utilizado por todos os profissionais que se proponham a auxiliar pessoas na escolha e planejamento da carreira profissional: orientadores profissionais, orientadores educacionais, professores, profissionais que atuem nas áreas de gestão de pessoas, planejamento e desenvolvimento de carreira e coaching.   Existe uma versão para aplicação individual e em pequenos grupos e outra para aplicação em grupos grandes (banners). Este jogo tem se mostrado de grande utilidade para os profissionais e motivado aqueles que o vivenciam a refletirem e amadurecerem suas decisões profissionais.

 

rodapé instser oceano

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

novembro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Page generated in 0,852 seconds. Stats plugin by www.blog.ca