is2jobJá pensei sobre quais sentidos o trabalho promove na minha vida cotidiana?

 

O trabalho é uma das atividades constituinte do ser humano, seja ao nível econômico, pois possibilita nosso sustento material e aquisição de bens necessários a sobrevivência como também promove equilíbrio psíquico e social, sendo uma dos “códigos” na nossa identificação, compondo nossa vida cotidiana de sentidos e significados.

Assim, momentos da/na escolha profissional e/ou necessidades de repensar nossa profissão/carreiras são situações que remetem a períodos de reflexão e de planejamentos.

Mas, será que temos tempo em nosso dia a dia? É bem provável que as respostas sejam negativas, pois vivemos diante de um cenário contemporâneo na qual as sociedades tem se organizado em objetivos de curto prazo, por vezes, impeditivos de situações de equilíbrios reflexivos e automatizando nossas rotinas. Vamos fazendo, fazendo, mas quem será que somos nessa identidade profissional?

Será nosso cotidiano sempre igual? Quando esclarecida pelo dicionário tal palavra revela-se como: de todos os dias; aquilo que se faz ou se sucede todos os dias reforçando as repetições, mesmices. No entanto, refletir sobre nossa vida cotidiana pensando nela para além das reproduções faz-se necessário. Não tem tempo para isso? Abra esse espaço para você!

O cotidiano deveria ser uma “mistura”, uma composição de repetições e de inovações. Assim sendo, como estará sendo organizada nossa rotina de trabalho diária? Será que reproduz a música Cotidiano, lançada nos anos 1970 e cantada por Chico Buarque de Hollanda, quando diz que na vida cotidiana: “…todo dia ela faz tudo sempre igual…”?

Contudo, sabiamente, o referido compositor abre possibilidades para pensar nesse cotidiano como uma possibilidade de também pode parar… e dizer não, ou seja, mudar, elevar-se para além da cotidianidade, inovando novas emoções na vida dentro e fora do trabalho. Pois quando o trabalho promove “bons” sentidos, quando eu me identifico com o que faço, meu ser, meu “eu” torna-se também mais integralizado, o dia a dia mais “leve”, mais criativo, mais produtivo e a caminho de atender as habilidades, as competências e a tão procurada empregabilidade no chamado mundo do trabalho.

Portanto, não existem formulas mágicas, mas sim tempo para rever as cristalizações que possam estar afetando os sentidos e os significados que o trabalho me suscita na rotina diária. Alias a própria origem da palavra rotina já nos dá uma grande dica: rotina vem de rupta, na qual fica associada à idéia de rota (caminho) que nos remete ainda à carreira e essa rupta ainda se associa a “rotura”, ou “ruptura”. Rever a profissão e/ ou novas possibilidades de carreira faz parte desse tempo novo no qual as dimensões entre tempo e espaço são cada vez mais flexibilizadas.

Regina Célia Borges é psicóloga e orientadora profissional, doutoranda e mestre em psicologia pela UFSC. Possui Formação em Orientação Profissional pelo INSTITUTO DO SER – Orientação Profissional e de Carreira, de Florianópolis, Especialização em Administração de Recursos Humanos pela Universidade São Judas Tadeu/SP e Especialização em Administração Hospitalar pela Fundação Getúlio Vargas/SP. Atua em Orientação e Re-reorientação profissional de jovens e adultos, preparação para vestibulares e concursos, Consultoria e Coaching organizacional e do trabalho; Supervisão, Palestras e Workshops Empresarias e Educacionais.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

novembro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Page generated in 0,436 seconds. Stats plugin by www.blog.ca